China continua destruindo cruzes de igrejas em meio à pandemia

0
29
China continua destruindo cruzes de igrejas em meio à pandemia
A igreja em Linyi, com sua cruz esquerda, e depois que a cruz foi removida em 3 de fevereiro, direita (Crédito da imagem: Bitter Winter)

O regime comunista do governo chinês, continua removendo e destruindo cruzes de igrejas durante à pandemia do novo coronavírus, na China. Desde o início do ano, diversas igrejas nas  províncias de Jiangsu, Anhui e Shangdon, tiveram cruzes removidas.

Uma cruz removida de uma igreja em Linyi, província de Shandong, em 3 de fevereiro, foi a mais recente de pelo menos 70 destruídas na cidade no ano passado. “O governo não fornece ajuda suficiente durante a epidemia de (Covid-19), mas destrói cruzes”, observou um cristão local.

Um funcionário da cidade de Zhuangwu, parte de Linyi, ordenou que a cruz fosse removida da igreja “Tree-Self” registrada pelo estado, alegando que seria uma visão “desagradável” para seus superiores que poderia levar à sua demissão.

A igreja é uma das muitas igrejas oficiais que não foram poupadas na repressão em curso, apesar de suspender todas as reuniões durante a pandemia e cumprir escrupulosamente uma série de regulamentos introduzidos desde 2018.

Esses regulamentos, que introduzidos, é sob a campanha do governo para “sincerizar” (tornar chinês) o cristianismo, reinterpretando-o de acordo com os valores do Partido Comunista Chinês.

Em dezembro de 2019, numerosas cruzes foram removidas de igrejas de três membros na cidade de Hegang, na província de Heilongjiang, no nordeste. Uma autoridade local ameaçou fechar uma igreja no distrito de Dongshan se a cruz não fosse retirada porque “era mais alta que a bandeira nacional”.

No mês anterior, quando os cristãos protestaram contra a remoção de uma cruz na província de Henan, uma autoridade do governo disse que “[é] o Partido Comunista que lhe dá comida e dinheiro, e não Deus”.