Cristã convertida implora à família muçulmana que devolvam suas filhas

Fitri se tornou cristã depois que teve um sonho em que Jesus tocou sua cabeça. Desde então, ela começou a frequentar a igreja e foi batizada.

0
140
Cristã convertida implora à família muçulmana que devolvam as filhas
A cristã convertida Fitri com uma de suas duas filhas (Foto: Reprodução / Barnabas Fund)

A cristã Fitri Handayani, postou um vídeo no YouTube no qual ela diz repetidamente “Jesus é o meu caminho” em resposta as alegações de sua família muçulmana de que ela sofreu uma lavagem cerebral e foi forçada a se tornar cristã.

A jovem mãe cristã, que se converteu na Indonésia disse: “Tudo isso é falso ‘as alegações’ e tudo isso [sua fé cristã] é meu próprio desejo, sem nenhuma pressão”, disse ela.

Dirigindo-se à família dela, Fitri pergunta, chorando: “Você está feliz com minha condição, sofrendo sem meus filhos? … eu expliquei que, mesmo se assassinada, não voltarei para lá [para o Islã] porque minha fé está aqui, no cristianismo.”

Fitri se tornou cristã depois que teve um sonho em que Jesus tocou sua cabeça. Desde então, ela começou a frequentar a igreja e foi batizada em Medan, capital da província de Sumatra do Norte, onde há uma grande comunidade cristã.

Seu marido, que agora está cumprindo uma sentença de doze anos de prisão por atividades criminosas, divorciou-se de Fitri mesmo que o casamento nunca tenha sido legalmente finalizado e ela se mudou com suas filhas, de seis e três anos, para Medan para trabalhar.

Quando ela recusou as exigências de sua família de retornar ao Islã e a Aceh, eles pegaram as crianças e as levaram de volta à província. Eles planejam enviar as meninas, que também se tornaram seguidores de Cristo e foram batizadas, para um internato islâmico.

As filhas cristãs de Fitri Handayani
As filhas cristãs de Fitri Handayani

As duas filhas cristãs de Fitri serão enviadas para um internato islâmico por seus parentes muçulmanos, que arrebataram as meninas de sua mãe.

A família também autorizou um grupo de homens muçulmanos a tentar forçar Fitri, que agora se casou com um cristão, a retornar a Aceh, mas felizmente suas tentativas falharam.

Um contato da Barnabas Fund, disse que muitos cristãos de origem muçulmana acehesa na Indonésia sofreram tratamento semelhante ao de Fitri. “Em Aceh, não há liberdade religiosa e, desde que a lei da sharia foi promulgada há alguns anos, o número de cristãos e igrejas está diminuindo na província”, disse ele.

Aceh é a parte mais fortemente islâmica da Indonésia. “Muitas igrejas foram destruídas ou fechadas e muitos cristãos foram perseguidos.”

A Indonésia, lar da maior população muçulmana do mundo, viu um aumento na ideologia islâmica de linha dura nos últimos anos. Uma geração atrás, muçulmanos e cristãos viviam em paz como iguais, de acordo com a filosofia promovida pelo estado de tolerância religiosa e unidade nacional conhecida como “Pancasila”.

Em 2019, o governo tomou medidas para combater a disseminação do fundamentalismo, instando os membros do público a denunciar conteúdo extremista postado on-line por funcionários públicos e tomando medidas para substituir os livros escolares considerados como contendo material radical.

No Islã, existe um tipo de casamento não registrado, chamado siri na Indonésia, geralmente realizado por um imã. Tais casamentos não são legalmente reconhecidos pelas autoridades indonésias, a menos que os casais também se registrem no governo.

Casamentos não registrados podem ser muito prejudiciais para as mulheres na Indonésia em caso de divórcio, principalmente se houver disputa sobre a distribuição de bens.