Cristã libertada da prisão por causa do coronavírus no Irã recebe perdão

Fatemeh Bakhteri, estava entre os milhares de prisioneiros libertados provisoriamente no Irã

0
30
Cristã libertada da prisão por causa do coronavírus no Irã recebe perdão
Cristã libertada da prisão por causa do coronavírus no Irã recebe perdão

Uma mulher cristã libertada da prisão no Irã devida a pandemia do coronavírus, recebeu perdão e foi informada de não precisa retornar à prisão. Desde o inicio da crise mais 80 mil prisioneiros já foram libertados no país islâmico por causa do vírus chinês.

Fatemeh Bakhteri, estava entre os milhares de prisioneiros libertados provisoriamente no Irã, como parte dos esforços do país para conter a propagação do Covid-19. O pais islâmico, é um dos mais atingido pela pandemia no Oriente Médio, com mais de 79.000 infectados.

Perdoada

A cristã de 35 anos, inicialmente foi libertada temporariamente da prisão de Evin. Mas agora foi informada pelas autoridades que ela foi perdoada pelo Ano Novo Persa, comemorado no mês passado, informou a Christian Solidarity Worldwide (CSW).

Bakhteri, de Rasht, é uma convertida do Islã e membro da Igreja do Irã. Ela foi condenada a um ano de prisão em setembro de 2018 por “espalhar propaganda contra o regime”.

A CSW relata que, durante o julgamento, a juíza ofereceu liberdade a Ms Bakhteri se ela retornasse ao Islã. Ela recebeu uma sentença de prisão depois de se recusar a renunciar à sua fé cristã.

Acusações infundadas

A presidente-executiva da CSW, Mervyn Thomas, recebeu com satisfação sua libertação, mas criticou seu tratamento nas mãos do regime opressor islâmico.

Ele chamou as acusações contra ela de “infundadas” e disse que “significam criminalizar as atividades cristãs”.

“Bakhteri passou um ano longe de seus entes queridos por discutir a doutrina cristã com outros cristãos, o que não é ilegal”, disse ele.

“Ela está entre muitos iranianos que estão sendo penalizados por adotar uma religião de sua escolha, uma ação que é protegida pelo Artigo 18 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é parte.

Dada a disseminação relatada do COVID-19 no sistema penitenciário do país, a CSW insta a comunidade internacional a pressionar as autoridades iranianas para garantir a libertação imediata e incondicional de todos os prisioneiros de consciência e acabar com o assédio às comunidades religiosas.