Cristão relata que aumento da fé na China, provoca demolição de igrejas

Governo comunista Chinês continua demolindo igrejas alegando que são ilegais.

0
23
Cristão relata que aumento da fé na China, provoca demolição de igrejas
Mulher cristã chinesa orando em uma igreja na China (Foto: Barnabas Funds)

A perseguição as igrejas não registradas na China, está ficando cada vez mais severa devido o aumento da fé no cristianismo, relata um cristão de uma que teve sua igreja demolida na província de Jiangx pelas autoridades em 27 de abril.

“Como as igrejas domésticas se recusam a se registrar no Estado e a ser gerenciadas por ele, o Partido Comunista Chinês (PCC) faz muito esforço para pressioná-los”, disse o cristão cujo nome não pode ser divulgado.

As autoridades chinesas disseram que tomaram medidas porque a igreja doméstica no distrito de Guangxin, em Shangrao, uma cidade no nível da prefeitura, era “de propriedade privada e não aprovada pelo governo”.

Um morador que testemunhou a demolição disse que o governo encontra qualquer pretexto para demolir uma igreja.

“Proíbe sua reunião porque alega que sua igreja é ‘ilegal'”, disse ele. “As pessoas são reprimidas, maltratadas e não têm liberdade de expressão. Aqueles que tentam argumentar com o regime são detidos.”

A contínua repressão à Igreja pelo governo chinês viu centenas de igrejas domésticas e igrejas oficiais “Three-Self”, que são sancionadas pelo Estado, serem fechadas em toda a China. Segundo informa ao Barnabas Fund.

Medidas cada vez mais repressivas incluem a prisão de pastores, a instalação de câmeras de vigilância dentro das igrejas e a remoção de símbolos e textos religiosos da exibição.

Apesar da China dedicar enormes recursos para conter a COVID-19, você pensaria que o governo comunista poderia pausar temporariamente a perseguição à comunidade cristã pressionada do país. Infelizmente, não.

Igreja na cidade de Yixing, Jiangsu, sendo destruída
Igreja na cidade de Yixing, Jiangsu, sendo destruída (Forto: Reprodução)

Em vez disso, o fechamento de igrejas para conter infecções por coronavírus deu ao Estado uma oportunidade fundamental para saquear santuários e retirar os centros de adoração de seu simbolismo cristão.

A evidência é chocante. Em 13 de março, e com os moradores em isolamento, uma igreja no condado de Guoyang, província de Anhui, teve sua cruz removida em plena luz do dia.