Pai muçulmano queima filha por se converter ao cristianismo, na Uganda

O ataque foi o mais recente de muitos casos de perseguição de cristãos em Uganda

0
37
Pai muçulmano queima filha por se converter ao cristianismo, na Uganda
A jovem Kyomuhendo de 24 anos, está se recuperando das queimaduras no Hospital (Foto: Reprodução/Morning Star News)

Um homem muçulmano supostamente espancou e queimou sua filha depois que ela se converteu do islamismo ao cristianismo. A jovem está Incapaz de voltar para sua casa no oeste de Uganda.

A jovem Rehema Kyomuhendo, de 24 anos, queimada pelo pai, está se recuperando em um hospital em Uganda, depois de sofrer queimaduras nas pernas, estômago, costelas, pescoço e região lombar.

Segundo a organização de vigilância cristã “Morning Star News”, o pai da jovem, o Sheikh Hussein Byaruhanga, usou combustível de um bidão para queimar sua filha em 4 de maio, depois de saber que ela se tornara cristã.

Kyomuhendo diz que seu pai a ouviu falando ao telefone com um católico, quando ela aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador. Nesse momento, ele entrou no quarto dela e “começou furiosamente a espancá-la com socos, tapas e pontapés” antes de ameaçar matar ela e queimando-a com fluido mais leve.

Leia também:

No momento do suposto ataque, ela estava na casa de sua tia enquanto acompanhava o pai em uma viagem de negócios ao distrito de Mbale, em Uganda. Mas, devido ao bloqueio do Covid-19, Kyomuhendo não conseguiu voltar para sua casa no distrito de Mbarara.

Após o ataque, a tia de Kyomuhendo a levou ao Hospital Regional de Referência de Mbale com a ajuda de um vizinho cristão. A dupla supostamente não denunciou o ataque à polícia por temer que o pai de Kyomuhendo possa matá-la.

Espera-se que Kyomuhendo permaneça no Hospital de Referência Regional de Mbale por mais de um mês com queimaduras graves na perna, estômago, região das costelas, perto do pescoço e em parte das costas, disse ele.

“Por favor, ore por Kyomuhendo para uma rápida recuperação em sua cama de hospital”, pede a fonte da notícia.

O ataque foi o mais recente de muitos casos de perseguição de cristãos em Uganda que o Morning Star News documentou.

A constituição de Uganda e outras leis prevêem a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a fé de alguém e converter-se de uma fé para outra. Os muçulmanos representam não mais de 12% da população de Uganda, com altas concentrações nas áreas orientais do país.

© Amigo De Cristo – Site de notícias cristãs.